domingo, março 27, 2005

dia setenta e nove : 79 : vida de sebastião [crónica a preto e branco de um cão amarelo # 16]

o estado do tempo não está a ajudar. esta chuva que assenta arraiais por territórios com os quais mantenho uma olfactiva afinidade não me dá muito jeito. tendo em conta a importância que atribuo às incursões por trilhos de controlada marginalidade, esta é uma situação que não me agrada mesmo nada.


[sebastião, o cão amarelo, em plena marginalidade controlada]

[fotografia por fdv]

4 comentários:

Anónimo disse...

Saltando diante do cão, cujo pêlo se tinha eriçado, o rapaz gritou:"Eu adoro-o!", num tom que não era de ternura mas de desafio mortal.
...
O cão enfiou o focinho por debaixo do seu braço. Ficaram lado a lado, numa sólida aliança...

in "Fogo do Céu" de Mary Renault, curiosamente tem uma personagem chamada Filipe!!!

Pequena Lontra disse...

What a mistaken to maken!!

Mil perdões pela inexactidão da identificação, mas foi a minha pessoa que cravou o cenário da Mary Renault (como o automóvel) neste post canino!!

Uma coçadela ao Sebastias...

Carla de Elsinore disse...

fdv, o d. sebastião não era o cão da canção?

FDV disse...

sebastião, o cão amarelo, não era nascido no tempo de el rei. contudo, para que o quarteto 1111 não fique desanimado, sebastião [o cão amarelo] não se incomoda de ser conotado com tal canção. [a bem da música].

obrigado pela atenção, carla elsinore.

cumprimentos.