terça-feira, maio 31, 2005

dia cento e vinte e sete : 127 : fiat

há já mais de dez vindimas, um destes vetustos automóveis transportou um conjunto de amigos até um concurso que se revelaria um marcante acontecimento pós-grunge ou neo-rural, consoante a perspectiva.

o relutante condutor, actual psicólogo com afinidade à temática da pressão de grupo e único titular de carta de condução naqueles dias da década de noventa, foi forçado pela malta a pedir o ilustre veículo ao pai.

lá fomos nós, mestres da coacção, adolescentes do mundo rural, para a cidade ver as candidatas ao título vitivinícola entrecruzar-se com a actuação de antónio mafra que, longe dos dias da senilidade, ainda sabia ordenar os dias da semana.

o carro do pai do paulo era azul.


naquele ano ganhou a feia.

4 comentários:

O Micróbio disse...

FIAT... sempre magnífico. Foi sempre o meu carro... UNO, FIORINO e agora TIPO.

FDV disse...

nos automóveis sou mais germânico.

o carro do povo é a minha máquina. golf. primeiro II, agora IV.

Papo-seco disse...

EHEHEHHEHEH

:)

vidi disse...

Eu também fui...
Sónia, és linda!!!!! lembras-te?